APOIO

APOIO

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Funeral de Fidel Castro vai durar nove dias; veja como será a cerimônia

Cuba fará luto de nove dias para se despedir de Fidel Castro. As cinzas do líder da Revolução Cubana percorrerão a ilha em uma carreata, antes de chegar ao seu destino final, o maior cemitério de Santiago de Cuba, em 4 de dezembro.
O governo de seu irmão, Raúl, nomeou uma comissão especial para organizar os funerais. Fidel faleceu na sexta-feira às 22h29 locais (01h29 de Brasília) e seu corpo foi cremado no sábado em um ato privado.
As cinzas ficarão expostas na segunda e na terça-feira no memorial José Martí, na Praça da Revolução, em Havana, onde a população poderá prestar sua homenagem, segundo um comunicado oficial.
Na mesma terça-feira, dia 29, às 19h locais (22h de Brasília), Havana despedirá o histórico dirigente com um ato multitudinário na Praça da Revolução, coração político de Cuba, onde Fidel fez muito de seus famosos e quilométricos discursos.
'Peregrinação das cinzas'
No dia seguinte, começará uma peregrinação com as cinzas de quatro dias, entre 30 de novembro e 3 de dezembro, que percorrerá 13 das 15 províncias da ilha.
Os restos mortais do líder viajarão de estrada no sentido contrário ao da "Caravana da Liberdade", a mesma que levou um Fidel triunfante de Santiago de Cuba até Havana em 1959, quando depôs a ditadura de Fulgencio Batista.
Será um trajeto de 1.000 km até Santiago de Cuba, onde está previsto um "ato maciço" na praça Antonio Maceo. O sepultamento ocorrerá no dia 4 de dezembro às 07h locais (10h de Brasília).
Luto nacional
O Conselho de Estado, órgão máximo do governo, decretou nove dias de luto nacional a partir do sábado (26) até 4 de dezembro, período no qual "cessarão as atividades e espetáculos públicos" e tremulará a bandeira nacional a meio mastro.
"A rádio e a televisão manterão uma programação informativa, patriótica e histórica", segundo a fonte.
A comissão encarregada dos funerais anunciou, ainda, ter adiado uma revista militar prevista para 2 de dezembro. O ato pelo 60º aniversário de desembarque de Fidel no iate Granma, de onde lançou a campanha contra Fulgencio Batista, será realizado em 2 de janeiro de 2017.
Trajetória
Fidel nasceu em 13 de agosto de 1926, na província de Holguín, sul de Cuba, e foi batizado durante a infância de Fidel Hipólito. Sua mãe trabalhava para a mulher de seu pai, o bem sucedido latifundiário espanhol Ángel Castro.
Apenas quando Fidel era adolescente seu pai se separou da primeira mulher e assumiu a família com a mãe de Fidel, Lina Ruz Gonzalez, com quem teve outros cinco filhos. Nesta época, Fidel foi assumido oficialmente pelo pai e recebeu o nome de Fidel Alejandro Castro Ruz.
Apesar de não ter sido registrado pelo pai na infância, Fidel cresceu estudando em escolas particulares e em meio a um ambiente de riqueza bastante diferente da pobreza do povo cubano.
Bastante inteligente, o jovem era mais interessado nos esportes do que nos estudos. Mesmo assim, o líder cubano iniciou seus estudos na Universidade de Havana em 1945, onde conheceu o nacionalismo político cubano, o anti-imperalismo e o socialismo, e se formou em direito em 1950.
Em 1948, Fidel viajou para a República Dominicana em uma expedição para tentar derrubar o ditador Rafael Trujillo, que foi fracassada.
Ao voltar para a faculdade, ele se juntou ao Partido Ortodoxo, fundado para acabar com a corrupção no país.
Casamentos
No mesmo ano, Fidel se casou com Mirta Diaz Balart, de uma rica família cubana. Eles tiveram apenas um filho, Fidelito. O casamento com Mirta acabou em 1955. Durante a união, ele teve um relacionamento com Naty Revuelta, com quem teve uma filha, Alina Fernández-Revuelta. Em 1993, ela fugiu da ilha se fazendo passar por uma turista espanhola. Alina pediu asilo nos Estados Unidos e passou a fazer fortes críticas a seu pai.
Com sua segunda mulher, Dalia Soto del Valle, Fidel teve outros cinco filhos homens cujos nomes começam com a letra "A": Alexis, Alexander, Alejandro, Antonio e Ángel.
Além da filha Alina, uma das irmãs de Fidel, Juanita Castro, também se mudou para os EUA, no início da década de 1960.

Vejam a nota publicada no cubahora.cu
 

Comunicado de imprensa da Comissão Organizadora

A Comissão Organizadora do Comité Central do Partido, do Estado e do Governo para o funeral do Comandante-em-Chefe Fidel Castro Ruz, relata ...

A Comissão Organizadora do Comité Central do Partido, do Estado e do Governo para o funeral do Comandante-em-Chefe Fidel Castro Ruz, a público informar que em 28 de novembro de 09:00 a 22:00 h, no Memorial "José Martí", a população da capital pode ir para prestar homenagem ao seu líder, que decorrerá até 29 de Novembro, nas horas entre 09:00 e 12:00 horas.

Em 28 e 29 de Novembro entre as 09:00 e as 22:00 horas, nos locais a serem prontamente comunicadas em cada local, incluindo a capital, todos os cubanos terão a oportunidade de prestar homenagem e assinar o juramento solene para cumprir o conceito de revolução, expressa pelo nosso líder histórico em maio de 2000, como uma expressão da vontade de dar continuidade às suas idéias e nosso socialismo.

Em 29 de Novembro, às 19:00 horas, um comício na Plaza de la Revolucion "José Marti" Capital será realizada.

No dia seguinte, a transferência de suas cinzas começará a viagem que recorda a Caravana da Liberdade, em janeiro de 1959, para a província de Santiago de Cuba, concluindo em 3 de Dezembro.

Nesse mesmo dia, às 19:00 horas, um comício na Praça "Antonio Maceo" será realizada.

A cerimónia fúnebre terá lugar às 07:00 horas em 4 de dezembro no cemitério de "Santa Ifigênia".

nosso povo é também relata que a revisão militar e marcha do povo combativo no 60º aniversário do desembarque do iate Granma expedição, dia das Forças Armadas Revolucionárias, é adiada para 02 de janeiro de 2017.

Comissão Organizadora
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário