APOIO

APOIO

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Xilindró Decap prende trio suspeito de assassinar sargento do Exército em 2012

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte, através da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (Decap), conseguiu elucidar o desaparecimento do sargento do Exército João Augusto Alves, aposentado de 56 anos, que estava sumido há 4 anos, desde novembro de 2012. Através de investigações, a polícia descobriu que a casa e o automóvel da vítima haviam sido vendidos pelos irmãos Ana Shirley Augustinho e Francisco Glayson Agostinho, após o seu desaparecimento. Em 2015, Ana foi intimada para depor e afirmou que teria comprado a residência de um corretor de imóveis no final do ano 2012, e que em março de 2013 vendeu a casa para outra mulher.
Após um segundo depoimento, a mulher confessou que a compra e venda da casa de João Augusto foi simulada e que ela teria emprestado seu nome para vender a residência, em março de 2013, a pedido de seus irmãos Francisco e Ricardo. A dupla foi presa no início de 2013 por ter praticado o crime de extorsão mediante sequestro, que resultou na morte do empresário Carlos Norberto Holtz, no final de 2012.
Nesta quarta-feira (16), os irmãos presos foram interrogados e revelaram que o sargento foi assassinado no final de setembro de 2012, e que logo após o fato teriam vendido sua casa e seu automóvel, falsificando procurações e fingindo ser a vítima. Segundo eles, o corpo de João Augusto teria sido enterrado nas proximidades do local onde o empresário também tinha sido enterrado.
Diante das informações, equipes de policiais civis da Decap realizaram buscas no local indicado e conseguiram encontrar partes de uma ossada, presumivelmente humana, que pode ser do sargento do Exército, que estava desaparecido. O local das buscas e encontro dos ossos foi realizado no perímetro de 20 metros da cova onde foi encontrado os restos mortais de Carlos Norberto. O Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) esteve no local e recolheu todo o material para análise.
O trio Ana Shirley, Francisco Gleyson, e Ricardo, foi preso em cumprimento de mandado de prisão temporária pela participação no crime que vitimou João Augusto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário