APOIO

APOIO

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Mineradora nega fechamento e cobra alvará de prefeitura para retomar produção

Principal produtora de sheelita do Rio Grande do Norte, a Bodó Mineração, diz que a empresa tem “segurança jurídica” para manter a operação. A empresa deu férias remuneradas ao pessoal que trabalha no subsolo no dia 31 de março devido à falta de certificado do Exército para estocar e manusear explosivos. Isso gerou manifestações no pequeno município. Segundo um porta-voz da empresa, a situação deve ser normalizada em breve.
Mauricio França, diretor da Bodó Mineração, disse que a não emissão de um alvará pela Prefeitura de Bodó (RN) impediu que a empresa renovasse o certificado de registro junto ao Exército para a compra, estocagem e manuseio de explosivos. O material é essencial para a operação subterrânea. Com o vencimento do certificado, os explosivos em estoque foram devolvidos ao Exército.
O executivo disse que iniciou em 3 de janeiro deste ano conversas com a Prefeitura para a emissão do alvará. Porém, não obteve sucesso, sendo necessário impetrar com um mandado de segurança junto à Justiça em Santana dos Matos (RN) em regime de urgência.
“Achamos melhor dar férias remuneradas ao pessoal de subsolo por questões de segurança”, disse França. Dos 136 empregados diretos da Bodó, 95 trabalham no subsolo. Na falta de material produzido no subsolo, a mineradora está reprocessando rejeito rico em tungstênio. A produção da Bodó, no primeiro trimestre foi de 40 toneladas de concentrado de sheelita. “Pretendemos aumentar a produção neste ano e ser o maior produtor de sheelita do Brasil”, disse o diretor.

Manifestação

Na manhã de quarta-feira 5, famílias de empregados da Bodó Mineração, queimaram pneus e fecharam uma estrada próxima à mineradora em manifestação contra o possível fechamento da empresa. A polícia chegou a ser chamada para manter a ordem no local. A empresa disse que foi um protesto espontâneo da população local, sem intervenção da mineradora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário