APOIO

APOIO

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Reforma trabalhista “A reforma não retira benefício de ninguém”, garante Agripino

O presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), disse que jamais votaria a favor da reforma trabalhista se ela retirasse um benefício sequer de qualquer cidadão brasileiro. A declaração foi dada nesta quarta-feira (5), durante a discussão do projeto no Senado. A previsão é de que o texto final da reforma seja votado na próxima terça-feira (11). “A reforma não retira benefício de ninguém. Aliás, se ela retirasse um direito sequer de qualquer pessoa, eu não votaria a favor”, destacou o parlamentar pelo Rio Grande do Norte.
Durante seu discurso, Agripino frisou a necessidade de modernizar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), criada na década de 40. “A CLT é um instrumento perfeito e acabado? Não. Tanto que no Brasil existem 3,9 milhões de ações trabalhistas, enquanto que na Alemanha são 590 mil, e na Itália, 305 mil. Ou seja, se há esse tanto de questionamento no Brasil, é porque algo precisa ser feito e alterado”, afirmou Agripino.
O senador citou o exemplo da Fábrica de Guararapes, do Grupo Riachuelo, no Rio Grande do Norte. Segundo o senador, havia uma série de ramificações da fábrica espalhadas pelo estado, mas, devido à insegurança jurídica, elas foram fechando as portas e seguiram para países vizinhos, como o Paraguai. “Como se corrige isso? Com a modernização das leis trabalhistas para que se estimule a criação de empregos e, assim, o país volte a produzir e crescer”, frisou o presidente nacional do DEM.
O senador voltou a garantir que jamais apoiaria um projeto que prejudicasse o trabalhador brasileiro e criticou a tentativa da oposição de tentar “demonizar” uma reforma que traz benefícios ao país. “Em nome dos empregos que serão criados no meu estado e em todo o país, em nome da perspectiva da retomada do crescimento e da manutenção de direitos, eu voto sim ao projeto”, finalizou o parlamentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário